Campo de Atlanta chega a 20 milhões de barris produzidos

Com média diária de 13 mil barris em dois poços, Enauta se prepara para retornar a produção no terceiro poço no início de 2021

 

A Enauta atingiu ontem a marca de 20 milhões de barris (bbl) produzidos no Campo de Atlanta, na Bacia de Santos, onde a empresa opera com 100% de participação. O consolidado de produção no ano até a data de ontem quarta-feira, 15/12, é de cerca de 3,8 milhões de barris. A marca foi atingida com menos de quatro anos de operação na área.

 

Atualmente, a média de produção diária, com dois poços produtores, é de 13 mil barris e a empresa mantém o trabalho para incrementar a produção. A previsão é de que o terceiro poço volte a produzir até março de 2022. Recentemente, foi concluída a primeira etapa do projeto de ampliação da capacidade de tratamento de água FPSO, que libera a planta de processo para aumento da produção de óleo.

 

Adicionalmente, a perfuração de mais um poço no Sistema de Produção Antecipada (SPA) está prevista para iniciar no quarto trimestre de 2022. O novo poço, previsto para entrar em produção no início de 2023, permitirá um aumento significativo na produção e adicionará um sobressalente ao sistema de bombeio dos poços. O valor estimado do poço é de US$ 75 milhões, sendo US$ 60 milhões para a perfuração e completação e o restante para interligação.

 

“Mantemos o foco na produção e otimização dos custos operacionais, principalmente dos custos logísticos. A engenharia offshore utilizada no Bloco BS-4 é feita a partir dos conceitos mais avanços disponíveis no mercado”, afirmou Carlos Mastrangelo, Diretor de Operações da Enauta.

 

A eficiência operacional da empresa no Campo de Atlanta em novembro foi de 99,32% no FPSO Petrojarl I, mantendo a excelência do registro do mês anterior. A localidade foi o segundo acordo de farm-in da companha após a abertura de capital em 2011, quando a empresa anunciou a aquisição da participação e da operação no Bloco, com investimentos de US$157,5 milhões.

 

De acordo com a certificação mais recente da Gaffney, Cline & Associates, o Campo de Atlanta possui Reservas 2P de 103 MM bbl de óleo pesado, com 14º API e baixo teor de enxofre, menos poluente e em linha com a regulamentação de combustível marítimo IMO 2020.