Divulgação dos resultados do 4º Trimestre de 2019 e ano de 2019

 

No quarto trimestre de 2019, registramos a marca de 10 milhões de barris de óleo produzidos pelo Campo de Atlanta, o que nos posicionou como a 6ª maior produtora de óleo e gás no Brasil no final de 2019, de acordo com dados da ANP.

 

Tais números solidificam a decisão do Consórcio de seguir com o desenvolvimento do Sistema Definitivo de produção do Campo, que pode quase duplicar a capacidade de produção dos atuais 30 mil para 50 mil barris de óleo por dia. Em 2021, o Consórcio planeja a perfuração de mais um poço para manutenção da produção no Sistema de Produção Antecipada (SPA) do Campo.

 

Também continuamos confiantes no potencial da Bacia de Sergipe-Alagoas, em função do andamento da interpretação exploratória. Com a aquisição de mais três blocos em setembro de 2019, em conjunto com nossos parceiros, temos 30% de participação em um total de 9 blocos na área, cujo sistema petrolífero principal é semelhante ao de outras descobertas realizadas no Suriname, na Guiana Francesa e na Costa Oeste africana, onde foram identificados prospectos com volumes materiais de recursos petrolíferos. Estamos nos preparando para iniciar a perfuração exploratória na área no começo de 2021.

 

A combinação de maior produção, competitividade do preço de óleo por barril, redução do lifting cost e ainda o aumento da demanda por gás ao longo do ano, levou a um aumento significativo da nossa receita e resultados operacionais  no 4T19 e no ano completo de 2019, bem como no lucro líquido ao ajustarmos os itens não recorrentes.

 

A receita registrou aumento da ordem de 40% no ano, e o EBITDAX do 4T19 totalizou R$260 milhões, equivalente a R$200 milhões excluindo o impacto do IFRS16. Quando comparado em bases equivalentes, sem o impacto do IFRS16, verificamos um aumento de 25,1% no EBITDAX do 4T19 em relação ao 4T18.

 

Encerramos o ano com caixa total de R$1,7 bilhão, valor suficiente para fazer frente aos investimentos programados no curto prazo. Como parte da destinação do resultado do ano, a administração propôs para aprovação na Assembleia, programada para 16 de abril de 2020, a distribuição de dividendos no valor total de R$300 milhões, o que representa aproximadamente R$1,14 por ação.

 

Possuímos um dos índices de alavancagem mais baixos do setor, com caixa líquido positivo, o que nos coloca em uma situação mais confortável diante de momentos de volatilidade do mercado. A Companhia sempre se pautou pela solidez de seu balanço e pela prudência no gerenciamento de riscos.

 

Seguimos buscando o melhor retorno aos nossos acionistas, garantindo a segurança dos nossos funcionários, gerando benefícios para a sociedade e contribuindo com a preservação do meio ambiente.

 

Clique aqui para acessar as informações completas em nossa Central de Resultados.