Enauta registra lucro de R$ 1,4 bilhão em 2021, o maior da história da companhia

Valorização do óleo de Atlanta e reconhecimento da totalidade do Campo impulsionaram o desempenho no período

 

Divulgamos hoje nossos resultados do quarto trimestre e ano de 2021. O lucro líquido de R$ 1,4 bilhão em 2021, é o maior da história da companhia. O preço do petróleo do tipo Brent combinado à valorização do óleo com baixo teor de enxofre e o reconhecimento da totalidade do Campo de Atlanta impulsionaram o desempenho no período. Também contribuiu com a marca histórica a produção de Manati – o campo foi responsável por 18% da receita total da empresa.

 

No 4T21, o lucro líquido totalizou R$ 690,7 milhões ante os R$ 38,2 milhões reportado no 4T20. Esse resultado é reflexo do aumento da participação no Campo de Atlanta combinado à alta do preço da commodity, que atingiu a cotação máxima desde 2014, com pico de US$ 86 por barril em outubro do ano passado. Em 2021, o lucro da Enauta aumentou 1.065% em relação à 2020, principalmente em função do registro do valor justo da participação adicional de 50% no Campo de Atlanta no 2T21 e do reconhecimento da venda de Carcará no 4T21.

 

“O ano de 2021 foi emblemático para a Enauta. Assumimos a totalidade do Campo de Atlanta e tivemos sucesso ao iniciar a implantação do Sistema Definitivo, um projeto robusto e um marco para a Companhia, que vai ajudar a aumentar a produção nos próximos anos. Permanecemos em Manati, reavaliamos o ativo e hoje divulgamos uma nova certificação que atesta um aumento de 54% nas reservas 2P em relação ao ano anterior. Estamos construindo um portfólio com efeito importante em nossa estratégia de diversificação, estabilidade de geração de caixa e equilíbrio na gestão das emissões de GEE”, avalia nosso CEO, Décio Oddone. “Isso nos traz vantagem competitiva na indústria de players independentes”, complementa.

 

Encerramos 2021 com sólida posição de caixa, de R$ 3 bilhões – 77,9% superior ao saldo em 2020 -, sendo 60% desses recursos dolarizados ao final do quarto trimestre, o que confere proteção à capacidade de investimento da empresa para executar sua estratégia de crescimento e expansão do portfólio.  O CAPEX realizado no quarto trimestre de 2021 totalizou US$ 7,1 milhões, sendo destinado em grande parte ao Campo de Atlanta e aos blocos localizados na Bacia de Sergipe-Alagoas. No ano de 2021, o CAPEX total foi de US$ 23,8 milhões, cerca de 61% para Atlanta.

 

“Buscando otimizar nossa estrutura de capital no médio e longo prazo, seguimos firmes com nossos esforços em avaliar opções de crescimento inorgânico, desde que capturadas no preço adequado e que tragam retorno atrativo. Dessa forma, buscamos construir a empresa independente brasileira com o portfólio com maior potencial de geração de valor para os nossos acionistas, nos posicionando para futuramente fazer parte de um possível processo de consolidação do setor”, afirma Oddone. 

 

Produção de óleo e certificação de reservas

 

A produção total no ano passado foi de 6,7 milhões de boe, o equivalente à produção média diária de 22,1 mil boe (4T21) e de 18,3 mil boe (ano 2021). O quarto trimestre registrou uma produção de 2,0 milhões de boe. A produção da Enauta relativa ao Campo de Atlanta aumentou 93,5% no 4T21 em comparação ao 4T20. Atualmente, Atlanta produz cerca de 13 mil barris por dia. No campo de Manati, a produção média diária foi de 3,1 milhões de m³ no 4T21.

 

A certificação de reservas da GaffneyCline para o Campo de Atlanta, atualizada em 31 de dezembro de 2021, indicou que as reservas 2P do Campo de Atlanta totalizavam 105,7 milhões de bbl, um aumento de 9% em relação à certificação de 31 de dezembro de 2020, considerando a produção de 2021. A variação é justificada pela otimização dos custos operacionais e melhorias no plano de desenvolvimento.

 

A certificação de reservas para o Campo de Manati indicou que as reservas 2P de 100% do Campo totalizavam 4,2 bilhões de m³ de gás natural e 0,33 milhões de barris de condensado, que correspondem a cerca de 26,7 milhões de barris de óleo equivalente. Houve um aumento de 54% na reserva 2P, em relação à reserva anterior, mesmo excluindo o volume produzido em 2021. Esse incremento foi devido, principalmente, a viabilização de uma nova condição técnica que permitiu o maior aproveitamento das reservas de gás do campo.

 

Ambiental, Social e Governança (ESG)

 

Ao longo de 2021, perseguimos o máximo da eficiência energética e trabalhou para aumentar a produtividade com menos consumo de recursos naturais e geração de resíduos. Por isso, a Intensidade de emissões foi de 17,6 kg CO2 e/boe em 2021, abaixo da média da indústria (OGCI) em 2020, cumprindo a meta estabelecida de figurar abaixo de 21 kg CO2 e/boe no ano.

 

A empresa também intensificou a abordagem de temas ESG internamente, com a instituição de grupos de trabalho e realização de treinamentos. Outro marco do ano foi a aprovação da Política de Remuneração com a inserção de metas relacionadas a ESG capitalizadas para toda a organização.

 

A consolidação de um ambiente profissional diverso e inclusivo também faz parte da estratégia da companhia para garantir o melhor resultado em seus projetos. Em 2021, a empresa aprovou a Política sobre Pessoas e Direitos Humanos e, em sua equipe, conta com 41% de mulheres na liderança e 43% na força de trabalho, acima da média da indústria de Óleo & Gás.

 

“Desde a nossa constituição, ações de ESG são intrínsecas ao nosso negócio. Perseguimos o máximo da eficiência energética e trabalhamos para aumentar a produtividade com menos consumo de recursos naturais, gerando emprego, renda e contribuindo com desenvolvimento social”, afirma Oddone.