Bacia de Sergipe-Alagoas

44 mil km²

ÁREA TOTAL

até 4 mil m

LÂMINA D`ÁGUA

CARACTERÍSTICAS:

alto volume potencial recuperável, facilidades logísticas, 4 mil km² de sísmica 3D, prospectos de médio a baixo risco. Expectativa de óleo leve, 30-40˚API.

 

A Bacia de Sergipe-Alagoas está localizada na margem continental da região nordeste do Brasil, abrangendo parte dos estados de Sergipe, Alagoas e uma pequena porção do estado de Pernambuco. Apresenta área total de cerca de 44 mil km², sendo aproximadamente 32 mil km² em mar até a cota batimétrica de 3.000 m e 12 mil km² na porção terrestre. Faz limite a norte com a Bacia de Pernambuco-Paraíba e a sul com a Bacia de Jacuípe.

 

As atividades de exploração na bacia de Sergipe-Alagoas iniciaram-se em 1935. As primeiras sondagens tiveram lugar na região norte do estado de Alagoas, com a primeira descoberta comercial de petróleo ocorrendo em 1957. Em 1963 foi descoberto o Campo de Carmópolis, na parte terrestre da sub-bacia de Sergipe, considerado o primeiro campo gigante brasileiro. A bacia também é pioneira em descobertas de campos marítimos. No final da década de 60, quando ocorreu a do Campo de Guaricema, primeiro campo brasileiro no mar.

 

A partir de 2007, novas fronteiras foram desbravadas, iniciando a produção de óleo leve em águas profundas. A bacia ocupa cada vez mais destaque devido ao alto índice de sucesso geológico, com descobertas em águas ultra-profundas.

 

Possuímos participação nos blocos SEAL-M-351, SEAL-M-428, SEAL-M-430, SEAL-M-501, SEAL-M-503 e SEAL-M-573. Em todos os blocos temos como parceiras as empresas Exxon Mobil e a Murphy Oil. Em 2018, foram adquiridos dados sísmicos 3D. A exceção do SEAL-M-573, cujo o recobrimento pelo 3D é de aproximadamente 50% da área do bloco, este levantamento sísmico cobre a totalidade dos demais blocos. Encontra-se em fase de processamento com término previsto para o final de 2019.