Bacia do Paraná

1,5 MI de km²

ÁREA TOTAL

CARACTERÍSTICAS:

Resultados de poços com produção de gás (ainda sem descobertas comerciais), boas condições de infraestrutura, mercado e facilidades logísticas, prospectos de médio a alto risco, expectativa de gás natural

A Bacia do Paraná possui uma área total de 1,5 milhões km², onde 1,1 milhões km² localizadas em território brasileiro – é a maior bacia sedimentar terrestre do Brasil. Além do Brasil, ela faz parte da Argentina (nordeste), do Paraguai (leste) e do Uruguai (norte).

 

A região é uma ampla bacia sedimentar intracratônica, localizada no interior de regiões tectônicas estáveis. Em virtude da pouca amostragem, principalmente em termos de poços e de sísmica, somada à extensa área de ocorrência, a Bacia do Paraná é classificada como Nova Fronteira. Contudo, alguns aspectos favoráveis podem ser apontados, como:

 

• Região fez parte do programa da ANP de aquisição sistemática de dados geológicos – com investimentos já realizados de aproximadamente R$ 200 milhões;

• Modelo de acumulação esperado semelhante ao da Bacia do Parnaíba, no Parque dos Gaviões;

• Arenitos com boas condições de porosidade e permeabilidade e sistemas petrolíferos ativos e comprovados;

• Localização geográfica estratégica.

 

A Bacia do Paraná já possui resultados de poços com produção de gás, ainda sem descobertas comerciais. Os prospectos analisados são de médio a alto risco, considerando as condições de bacia de fronteira. No entanto, avalia-se que o modelo não convencional de trapeamento de gás, sucesso na Bacia do Parnaíba, ainda não foi testado adequadamente na Bacia do Paraná.

 

Possuímos participação nos blocos PAR-T-86, PAR-T-99, PAR-T-196 e PAR-T-215, localizados nos estados do Mato Grosso do Sul e Goiás, com aproximadamente 11.544 km² de extensão, área equivalente à de toda a tradicional Bacia do Recôncavo na Bahia. Em caso de descoberta, a proximidade com o mercado consumidor de gás facilitaria o escoamento da produção. O consórcio poderia ainda replicar o modelo de sucesso de reservoir-to-wire (R2W), com a geração de energia elétrica a partir do gás natural, um trabalho em conjunto à transição energética.

 

Ressalta-se as excelentes condições de infraestrutura, mercado e facilidades de logística.